Caiu na net video porno amador esposa muito peituda comendo esposa vagabunda com colega de trabalho de blumenau

visualizações

1 min 39 seg

Categoria:

Tag: , , , , , , , , , , , , , , , ,

Caiu na net video porno amador esposa muito peituda comendo esposa vagabunda com colega de trabalho de blumenau

Caiu na net video porno amador esposa muito peituda comendo esposa vagabunda com colega de trabalho de blumenau

gemiae me chamava de putinha,de vagabunda. Encaminhei cuidadosamente o assunto na direção que me favorecesse e logo estávamos apreciando vídeos de cunho profundamente pornográfico.

“Diego” trocou de posição comigo e eu não resisti muito tempo sentindo aquela língua percorrendo minha bucetinha; mesmo sendo a primeira vez de “Diego” ele se saiu maravilhosamente bem e só parou aos sentir o gosto do meu melzinho.

Mas tarde já em Blumenau saimos eu minha esposa e Convidamos ela novamente para ir junto e ela aceitou de pronto e mais uma vez eu vi ela em uma felicidade incrivel, Já no Hotel eu e minha esposa começamos a conversar e foi quando minha eposa comentou que A fabiana tinha reclamado com ela sobre o seu namorado, que nunca saia com ela, que quase nunca ia a praia e que o namorado gostava de trocar ela para sair com os amigos e que quase nunca procurava ela que sá transavam de vez em quanto, e perguntou se ela achava isso normal.

Eu trabalho num escritório de contabilidade e tive que fazer hora extra nesse final de semana, pois tinha algumas declarações para entregar. Seu Agenor, de licença da empresa, estava em casa, sofrendo junto com Lucia, sua esposa. Olhei no corredor se não tinha nenhum colega do curso no corredor e meu recepcionista foi embora. Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal.

Bem, fomos buscar Patrícia na rodoviária e ela estava super feliz, saímos pra comer e beber e depois fomos pra casa, Patrícia apesar de demorar pra assumir sua sexualidade é alegre, gosta muito de conversar, e é bastante desinibida, conversando sobre qualquer assunto, em casa ela nos contou como foi que se assumiu bissexual, como foram as reações de sua família e como foram suas experiências com uma mulher pela primeira vez, ouvir ela falando de sua intimidade para minha esposa nos deixou bastante excitados, mas como estávamos cansados fomos dormir cedo, no segundo dia nós saímos, passeamos bastante na praia e voltamos pra casa a tarde, eu havia comprado alguns peixes e vinhos e a tarde ficamos em casa assando os peixes na churrasqueira e tomando vinho, depois de 3 garrafas de vinho nós já estávamos bem a vontade, e minha esposa começou a fazer perguntas indiscretas pra Patrícia, querendo saber como que era transar com outra mulher, quem chupa melhor, se o homem ou a mulher, esse tipo de coisas, patrícia achaou muito engraçado e respondeu a todas as perguntas sem embaraço, eu falei pra minha esposa que era só ver um filme pornô pra saber como que era, e minha esposa disse que filmes pornôs não condizem com a realidade do sexo, então começamos a falar sobre as diferenças de filmes pornôs, Patrícia disse que havia filmes pornôs específicos para mulheres e que eram bem diferentes dos filmes pornôs que os homens assistem, então minha esposa aproveitou a oportunidade e ugeriu que nós assistíssemos as dois pra vermos as diferenças, Patrícia meio que deu uma risadinha safada e disse que por ela tudo bem, desde que minha esposa não ficasse incomoda por ela estar vendo pornô comigo.

Tinha uma garçonete chamada Louise, que era muito peituda, bunduda, gostosa, rebolava deliciosamente ao andar e volta e meia estava acesa.

Minha esposa, Paula é uma mulher de 40 anos, 1,60 m de altura, 52 Kg, muito gostosa, fogosa e determinada.

Ele tava metendo muito, e brincando com meu cu, pensei que ele iria gozar rápido, mas não, ficou me comendo assim por uns 15 minutos, até que ele me colocou no chão e pediu pra eu ficar de joelho e abrir a boca.