Casada Na Siririca Calcinha Azul Amiga Da Faculdade

Casada Na Siririca Calcinha Azul Amiga Da Faculdade

Casada Na Siririca Calcinha Azul Amiga Da Faculdade

Fiquei empolgada com tudo aquilo, ate ganhei um premio na entrada por ter ido sem calcinha. "Já era tarde, estava numa festa no apartamento do meu namorado, depois de algumas bebidas já estava com muito tesao e fui para o banheiro com ele, ja fui entrando tirando minha roupa gritando pra ele me chupar toda e me fazer gozar, e foi o que ele fez, enquanto ele chupava minha boceta me fazendo delirar minha amiga entrou no banheiro, no começo fiquei envergonhada achando que ela sairia e nunca mais tocaríamos no assunto, mas o que ela fez foi fechar a porta e se aproximar, eu gelei, nunca tinha tido nenhuma relacao com uma mulher antes, mas ela era muito gostosa, so de olhar pra ela ja tava ficando com mais tesao, ela chegou tirando meu namorado e falando que ia ensinar ele fazer uma mulher gozar de verdade, eu ja tava molhadinha de desejo por ela enquanto ela passeava com suas maos pelo meu corpo, então ela me puxou com forca e começou a me chupar, me chupar muito, com vontade, nunca tinha sentindo um prazer tao grande, eu gemia, gritava pra ela me comer, então ela começou a meter os dedos na minha bucetinha com mt forca, ela metia e depois me fazia lamber seus dedos meladinhos com meu gozo, minhas pernas ja tremiam quando ela pediu para o meu namorado me comer de 4 pra ela ver, e foi o que fizemos, ele nem pensou duas vezes e ja veio metendo, quando olhei pra ela, ela tava vendo meu namorado me comendo e se masturbando com a calcinha toda molhada ja, então mandei ela tirar a calcinha e se aproximar pra eu poder enfiar minha língua na sua boceta. Casada inféliz porque sempre desejei fazer amor com mulheres.

Na cama ele só faz sexo na posição de papai e mamãe e quando eu começava a me esquentar, ele já tinha gozado e sempre me deixava na mão, quando eu pedia pra chupar o seu pau, ele ficava bravo e não deixava, mesmo quando eu oferecia o meu cuzinho pra ele comer, ele brigava comigo e falava, que isso era coisa de puta, que mulher direita não fazia isso, eu morria de vontade de dar uma boa gozada e era obrigada a me masturbar sozinha o tempo foi passando e a cada dia que passava, eu ficava mais carente e angustiada, as siriricas que eu batia, já não estavam mais fazendo efeito. Comecei a notar os horários da vizinha que trabalhava apenas na parte da manhã pois era professora e na parte da tarde ficava em casa e seu marido saia bem cedo e só voltava muito tarde, pois ia direto para a faculdade do serviço.