Disfruten la cola de mi esposa

visualizações

4 min

Categoria:

Tag: , , , , , , , , ,

Disfruten la cola de mi esposa

Disfruten la cola de mi esposa

Vamos fazer o seguinte: a gente tenta de novo; quando eu enfiar, você faz força como se estivesse cagando. Ainda sentados no sofá, jane com aquele vestido vermelho que deixava a motra a polpinha da bunda, sentou no meu colo, de costas pra mim, enquanto eu segurava os seus seios, eles cabiam perfeitamente nas minhas mãos, ela se encarregava de esfregar a buceta, que nessa altura já estava encharcada, no meu pau, ela ficou por muitos tempo se esfregando na minha pica, eu podia sentir a sua buceta molhando o meu pau de cima a baixo, ainda de calcinha, a qual com uma das mãos Jane puxava para o lado, ela pressionava a cabeça do meu pau contra o seu grelo, Jane esfregava meu pau na portinha da sua buceta, as vezes quase entrava, chegando a entrar meia cabecinha, ela se contorcia de tanta excitação, eu não não aguentava mais aquela provocação e estava doido pra ver minha pica entrando naquela buceta, que para a minha felicidade, era um pouco peluda e que de tão grande não cabia dentro da calcinha, foi então que algo em mim se engrandeceu e eu levantei do sofá disposto a meter logo naquela xereca, joguei jane em cima da mesa puxei a calcinha pro lado, dei uma pincelada na xereca dela com a cabeça da minha piroca apontando na entrada na buceta, pronto, agora era só empurrar, ia meter na pele, sem camisinha, porque queria sentir cada centímetro daquela buceta envolvendo meu pau, jane concordou mas um segundo depois gritou:Não resisti e meti a mão em baixo pra sentir aquele mijo que saia da sua buceta linda, e ela se assustou e tentou tirar minha mão, mas no meio desses movimentos bruscos acabou mirando em minha direção e me acertou com um pouco do seu xixi quente.

Logo minha esposa tinha novamente gozado e quase não conseguia mais ficar firme em nossa noite de simples prazer. Seu pé foi até meu pau e apontou uma pintinha rosa que não estava lá antes.

Mas depois q foi abrindo mais a bucetinha, fui ficando excitada, ele estava socando no fundo, fodia como louco como se não visse uma buceta há meses. Ele gemia mais alto a cada engolida na cabeçona que eu dava e dizia que estava amando aquele momento e me perguntava baixinho se eu tava gostando e se queria que eu fosse o seu macho secreto, eu respondia murmurando e ele mais ficava com tesão e já tava enfiando o dedo cheio de creme no meu cuzinho que tava piscando muito, ele acariciava meus cabelos e mandava eu mamar mais a me chamava de “minha putinha”… -mama seu macho putinha, mama… Eu tava quase gozando sem encostar a mão no meu pau… Ele gemendo e arfando e eu deitado ainda no seu colo olhando aquele colosso na minha frente até que ele não agüentou mais, segurou firme minha cabeça com uma mão e com a outra enfiava todo dedo grosso no meu cuzinho até explodir em gozo na minha boca dando urros e gozando que mais parecia uma torneira aberta saindo leite. E vou te falar uma coisa: devia ser muito bom!– Eu já imaginava isso… desembucha!– Você imaginava isso? Pois vou te confessar uma coisa, com toda seriedade: eu não imaginava não! Achei que íamos passar o dia conversando sobre arte e fazendo alguma coisa, pintura, escultura, sei lá.

Minha mulher adorou esse caso quando contei a ela, por isso escrevo aqui.