Gravou A Transa Mulher Gatinha Perfeita Sofrendo No Anal Para Seu Comedor Em Rio Das Ostras

3 min

Categoria:

Tag: ,

visualizações

3 min

Categoria:

Tag: ,

Gravou A Transa Mulher Gatinha Perfeita Sofrendo No Anal Para Seu Comedor Em Rio Das Ostras

Gravou A Transa Mulher Gatinha Perfeita Sofrendo No Anal Para Seu Comedor Em Rio Das Ostras

Quando Douglas chegou fingi surpresa e o convidei para entrar notei que ele me devorou com os olhos me fiz de desentendida quando disse que havia ido buscar os jogos e o chamei para ir até o quarto do meu filho para que ele me mostrasse qual seria. Ao chegar em seu umbigo, com a lingua, o rodeei e depois enfiei-a dentro dele, o que a fez suspirar, mas quando a olhei ela voltou a fazer a mesma cara feia de sempre! Minha xota ja estava encharcada de tanto tesao! Abri-lhe o zyper da calca jeans e de leve passei o dedo indicador pela calcinha so para certificar-me de que estava molhadinha! Estava, e desta vez ela gemeu, um gemido baixo e reprimido, nao a olhei, para nao fazer ela fechar a cara novamente! Abaixei a sua calca, beijei-a de leve ainda em cima da calcinha, fiz a minha gatinha se contorcer toda! Tirei a sua calciha, nunca a olha-la pra nao constrange-la! Olhei sua xotinha, vi seus pequenos labios ja inchados de tesao! Fiz que ia chupa-la, mas nao, desci ate a sua canela e vim subindo, sempre beijando e lambendo! Acariciei-a com a minha lingua atras de seus joelhos, sabia por experiencia propria ser muito sencivel aquela regiao! Mais uma vez a minha gatinha se contorceu! Desta vez a olhei, ela nem percebeu pois estava de olhos fechados se deliciando! Vim subindo por suas cochas e olhei novamente sua xota, seu clitoris ja estava roxo, anseava pelo meu toque, porem para provoca-la perguntei: “vc quer que pare?” “Claro!”- ela disse “Entao conte alto ate 20, se vc me mandar parar, ao final da contagem, eu pararei!” “Esta bem!”- disse ela ja comecando a contagem.

Antônio era do tipo aventureiro, falava de vários assuntos, bebidas, vinhos em especial, o que mais me atraia nele, enquanto ele falava e dirigia eram seus lábios, ele tinha uma boca perfeita, suas mãos eram perfeitas e suas pernas grossas, fiquei excitada, imaginando o momento e desejando que ele me beijasse, pois foram semanas conversando com eles, antes de nos conhecermos.

A algum tempo a trás eu tive contato com os contos eróticos, achei aquilo um absurdo, mentiras, fantasias, jamais acreditaria que um homem deixaria sua mulher dar para outro homem, eu não sou santo não, costumo dar as minhas puladinhas, e ate não achava justo eu ter outros conhecimentos, conhecendo outras pessoas e minha esposa ficar limitada a mim, mas também não achava certo eu deixar ela transar com outro homem e ainda na minha frente, mais pensava, eu jogava bola, no vestiário eu via os amigos nus cada rolão, e a minha pequena, eu tenho 14 cm só de rola, eu ficava imaginando aquelas rolas entrando na boceta dela, nossa e o pior que me dava tesão, aquilo não sai da minha cabeça, comecei então na hora de fazer amor com ela eu chama-la de puta, vagabunda, safada, no começo ela achou um pouco estranho mais depois começou também sentir prazer em eu chama-la de puta, mas eu não tinha coragem, de tocar no assunto com ela, nem que fosse só para saber a opin ião dela a respeito,o tempo foi passando. Seu Agenor, de licença da empresa, estava em casa, sofrendo junto com Lucia, sua esposa. ela – quer vir aqui em casa amanha ver um filme de tarde ?"A gostosa terminou o treino dela, vestiu a sua blusa e foi embora, mas esqueceu a camiseta lá em cima do aparelho…Quando o dono da academia voltou e viu, eu sem camisa, e uma camiseta demulher jogada la, começou a falar pra mim, que a academia dele não era puteiro, que eu devia ter respeito e nnão sei o que mais, até que ele me agarrou pelo braço e me mandou tomar banho e sair da academia dele… Eu fui"Conversamos muito sobre todos assuntos e sobre sexo tambem.

Meu alvo era os dois comedores.