Putaria Brasileira Coroa Peitudas Gozando Com Chifrudo Da Vila Embratel – Sp

visualizações

3 min

Categoria:

Tag: , , , , , , , , , , , , , , ,

Putaria Brasileira Coroa Peitudas Gozando Com Chifrudo Da Vila Embratel – Sp

Putaria Brasileira Coroa Peitudas Gozando Com Chifrudo Da Vila Embratel – Sp

-`Peraí, issso não é coisaaa…ah!…Aaaah…Sua louquinha!!!Eu já estava com metade de seu pau dentro da boca lhe sugando com toda vontade que eu estava pra mamar numa verga!! Em qualquer verga!! Mesmo na do chifrudinho de meu marido!! Chifrudo de dois!! De meu irmão e do chefe dele!! Foi Rafer, o chefe, quem gozou pela primeira vez em minha boca!! Ele me ensinou direitinho como ir com minha boquinha até a base de sua imensa rola e deixar a cabeçona da glande se acomodar no fundo de minha garganta, ficar aí sugando o máximo de tempo que minha respiração permitia e depois deslizar meus ovalados lábios de volta até o final da torona e a base da cabeçorra arroxeada, continuando sugando, enquanto minha saliva escorria pela aquela haste de carne endurecida, me lambuzando todo o queixo e as buchechas! E o final que eu mais adorava era quando eu sentia que ele estava próximo de gozar, eu me concentrava na siririquinha que fazia em meu grelinho e sincronizava meu gozo com a mangueirada de esperma em minha boca!-Aiii! Amorzinho…como você faz gostosinho!! Você… nunca… foi aaassiiiiimmm! Aahhh!Aquilo que ele disse me alertou.

Porque eu estou gozando dentro de você, dentro de seu rabo quente… goza Nina. Eles sempre conversando e falando de putaria, sacanagem e desejos, acenderam o estopim que falta. Tenho 36 anos, e o meu gatinho de apenas 19, sou casada mas meu marido esta para o Japão a 03 anos, a trabalho (Sou Brasileira).

Quando cheguei, estacionei meu carro na garagem no quarto que ele tinha alugado. ""Sempre tive e tenho tara em coroas até um dia que comecei a dar em cima de uma vizinha do meu condomínio toda vez que tomava banho colocava o volume alto dos vídeos até por que ela era minha vizinha de janela até um dia que tentei algo com ela inventei que minha mãe tinha saído e me trancado na rua bati em sua portá perguntando se poderia esperar minha mãe lá até por que ela me conhecia desde criança.