Video amador fora do normal puta amadora gostosa peluda batendo uma siririca taradão carioca de manaus

3 min

Categoria:

Tag:

visualizações

3 min

Categoria:

Tag:

Video amador fora do normal puta amadora gostosa peluda batendo uma siririca taradão carioca de manaus

Video amador fora do normal puta amadora gostosa peluda batendo uma siririca taradão carioca de manaus

Um dia normal eu tinha deitado pra dormir na minha cama mais lá na madrugada eu ouço gemidos no quarto da minha mãe e vou olha o que ta acontecendo e sem perceber ficando com o pau duro quando cheguei no quarto da minha mãe meu pai está comendo ela eu não sabia o que eu fazia eu fiquei parado pararizado e sem querer comecei a bater uma punheta essa foi a melhor punheta da minha vidaEla baixou a cabeça e começou a beijar minha barriga, ela beijava e beijava a pele macia e lisa. "Manaus/Am-Você foi uma das minhas melhores transas. Depois de um tempo ela se aproximou e perguntou se eu era da região e se sabia que horas o local reabria e começamos a conversar, seu nome é Elis (fictício), ficamos batendo papo por uns 25 minutos, ela explicou que era jornalista e que veio para acertar um contrato de propaganda em S. Ainda sentados no sofá, jane com aquele vestido vermelho que deixava a motra a polpinha da bunda, sentou no meu colo, de costas pra mim, enquanto eu segurava os seus seios, eles cabiam perfeitamente nas minhas mãos, ela se encarregava de esfregar a buceta, que nessa altura já estava encharcada, no meu pau, ela ficou por muitos tempo se esfregando na minha pica, eu podia sentir a sua buceta molhando o meu pau de cima a baixo, ainda de calcinha, a qual com uma das mãos Jane puxava para o lado, ela pressionava a cabeça do meu pau contra o seu grelo, Jane esfregava meu pau na portinha da sua buceta, as vezes quase entrava, chegando a entrar meia cabecinha, ela se contorcia de tanta excitação, eu não não aguentava mais aquela provocação e estava doido pra ver minha pica entrando naquela buceta, que para a minha felicidade, era um pouco peluda e que de tão grande não cabia dentro da calcinha, foi então que algo em mim se engrandeceu e eu levantei do sofá disposto a meter logo naquela xereca, joguei jane em cima da mesa puxei a calcinha pro lado, dei uma pincelada na xereca dela com a cabeça da minha piroca apontando na entrada na buceta, pronto, agora era só empurrar, ia meter na pele, sem camisinha, porque queria sentir cada centímetro daquela buceta envolvendo meu pau, jane concordou mas um segundo depois gritou:Não resisti e meti a mão em baixo pra sentir aquele mijo que saia da sua buceta linda, e ela se assustou e tentou tirar minha mão, mas no meio desses movimentos bruscos acabou mirando em minha direção e me acertou com um pouco do seu xixi quente.

Me aproveitei um pouco daquela xota gostosa e molhadinha, e fiz a mesma coisa com minha tia, que gemeu alto quando eu a penetrei, sem se importar com nada. Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal.

"Bom sou novo aqui então vamos a apresentação, me chamo Viktor,21anos,carioca,moreno(pele clara),careca,pênis de 17cm(nada grande,mas na medida pra dar prazer a muitas mulheres). "Qual vai ser a sua Caio?-Eu já sei oque fazer…E quanto a você Didi? Vai fazer oque?Eu preferi abrir mão de qualquer coisa, então disse:-Já me contento com qualquer coisa que Caio fizer…-Está com peninha Didi? Depois de tudo que aconteceu? Vai deixar barato?"No conto anterior,relatei a transa que tive com uma garota de programa que conheci em um puteiro e agora venho contar a delícia de foda que tivemos entre eu, Leona e meu amigo Lucas,ele tem 27 anos,é branco,tem 1,80 cm +-,corpo médio forte,cabelos pretos e é taradão por mulher assim como eu.

Quando não estou perto dele,preciso de algo pra me satisfazer,e de uns tempos pra cá…Bem,de uns tempos pra cá as siriricas e os vibradores não dão mais conta do recado.

Jogamos videogame por algumas horas, ele me assediando, roubando uns beijos na marra às vezes, mas parando quando eu recusava.